sexta-feira, 2 de setembro de 2022

Entre Oriente e Ocidente (10).

 



Dubrovnik foi entre os Séculos XV e XVII uma importante e próspera Cidade-Estado. Escala na rota do Oriente, ponto de passagem de caravanas carregadas de metais preciosos e linho. Teve horas de glória em rivalidade com Veneza.

Conseguiu através duma hábil política de pagamento de tributos escapar a uma ocupação otomana

A cidade dispõe de monumentos esplêndidos, testemunhas desses tempos de grandeza.

Sofreu, entre outras desgraças, um terramoto violento em 1667, a ocupação napoleónica que aliás aboliu a República de Ragusa nome pelo qual era conhecida até então, e finalmente violentos bombardeamentos em 1991 por parte do Exército Jugoslavo durante a Guerra da Independência da Croácia.

Hoje é uma vibrante cidade, destino turístico importantíssimo.

Em Dubrovnik discute-se hoje o problema dos excessos da ocupação turística, muito a exemplo da sua rival histórica de Veneza.

 


 

O mosteiro franciscano, recentemente restaurado depois dos bombardeamentos sofridos em 1991, é um dos monumentos marcantes da cidade bem como a fonte Onofrio que relembra um dos grandes arquitectos do período áureo da cidade: Onofrio della Cava que viveu no Século XV.

 







 

Um dos poucos sobreviventes ao terramoto é o Palácio Sponza, hoje utilizado pelos Arquivos Nacionais.


 



Mas o verdadeiro ex-libris de Dubrovnik é constituído pelo extraordinário conjunto de muralhas. Mas isso fica para o próximo post.

 

Fotografias de 14 de Maio de 2022

 

José Liberato


1 comentário: