quinta-feira, 13 de maio de 2021

O enigma do mausoléu.

 







Ermida de Nossa Senhora da Conceição:

O enigma do mausoléu de D. João III

 

 

Aviso prévio ao leitor: não embarco de ânimo leve nessas descrições de lugares e sítios mágicos, cabalísticos, mantenho-me indiferente ao tesouro dos Templários e ao esoterismo que tantos propalam, atribuindo a Tomar virtudes simbólicas ímpares. Enfim, está tudo por demonstrar, embora a atmosfera propicie as visitas dos cultivadores de enigmas. Mas estou absolutamente seguro de que há templos que permitem interpretações que a História às vezes ajuda a corroborar. E com esta mania das leituras de coisas antigas, vou-vos falar do enigma do mausoléu de D. João III, que está para dar e durar. Tudo começou quando li uma revista infelizmente há muito desaparecida.

 O número 1 do Boletim Cultural e Informativo da Câmara Municipal de Tomar, março de 1981, apareceu cheio de vida, parecia destinado a mexer no orgulho tomarense. O seu conteúdo fala por si: um enternecedor trabalho sobre o tipismo e as tradições tomarenses; José Inácio da Costa Rosa, autor da capa, escrevia sobre os oito claustros do Convento de Cristo; cozinha, doçaria e vinhos de Toma, toponímia das ruas de Tomar, eram outros aliciantes de uma publicação que parecia fadada a uma longa vida e constituir uma ferramenta cultural topo de gama.

Rafael Moreira entendeu por bem debruçar-se sobre um dos mistérios mais cuidadosamente guardados da arquitetura tomarense: qual seria o destino a dar à Ermida de Nossa Senhora da Conceição, grande demais para capela, pequena demais para igreja?

Primeiro, a sua construção. A obra fez-se durante o priorado de Fr. António de Lisboa, provavelmente em 1550 ou 1551, sofreu várias paragens, concluiu-se 20 anos depois, quando se assentou a cobertura, mais no século seguinte ainda havia acabamentos para resolver. Enfim, uma construção com altos e baixos, denota desinteresse e abandono da sua finalidade inicial.

Segundo, faz todo o sentido olhar para este edifício como exemplo de arte funerária monumental e supor o seu destino. D. João III jaz na capela-mor dos Mosteiros dos Jerónimos, mas tudo quanto se tem publicado sobre as preocupações do monarca para jazigo da sua família fazem pensar que D. João III não o destinava para seu sepulcro nem para sua mulher, D.ª Catarina de Áustria. Como observa o autor, quando foi entendimento em sepultá-lo em Belém, foi necessário improvisar um lugar “aos pés da sepultura de el-Rei D. Manuel seu pai”. O autor enfatiza que D. João III não planeara vir repousar ao lado de seus pais e seus irmãos na capela-mor de Belém, a sua decisão induz-se pela negativa: excluir-se do panteão de Belém significava ter formado o desígnio no sentido de erigir outro para si, tudo indicando que foi precisamente com esse fim que se fundou a capela de Nossa Senhora da Conceição. E abona com vários testemunhos, onde não faltam Francisco de Holanda e Fernão Duarte de Montarroio.

A ligação de D. João III com o Convento de Tomar era solidíssima: concedeu-lhe sucessivos privilégios, ele que era grão-mestre perpétuo da Ordem de Cristo, privilégios que suscitaram remoques se não ódios de outras ordens religiosas (dos Alcobacenses, por exemplo, a quem o monarca retirou chorudas rendas. D. João III concedeu a Tomar o título de “Vila notável”. E o autor questiona porquê um panteão real na órbita do Convento de Cristo? E responde dizendo que nenhuma das suas dependências tinha caráter apropriado. Ora o local escolhido para a Ermida da Nossa Senhora da Conceição é ao mesmo tempo uma pequena acrópole e a traça é a de um típico mausoléu à antiga em forma de templo destinado ao enterramento e culto do defunto.

Olhando para o edifício, tudo faz para nos convencer, alegando que temos ali os elementos mais significativos da sua intencionalidade. A complicada organização volumétrica espelha a diferenciação entre a zona religiosa e a zona funerária. “Interiormente, o traço que define a estrutura é o extraordinário relevo dado à zona do cruzeiro como foco de atração visual. Precedido pela colunata coríntia que funciona como um vestíbulo, a ele conduz o movimento dos entablamentos e abóbadas, nele se concentram os elementos decorativos (na cúpula, sobre a qual se erguem por fora bolas de fogo e o ovo primordial), converge e angulação das janelas do transepto e desembocam as linhas de comunicação dos recessos internos; um ponto exato à entrada do cruzeiro é, de facto, o centro da construção perspética da igreja. Em confronto com ele, a capela-mor torna-se insignificante, e quase passa desapercebida. Os braços do transepto criam extensões laterais de valor equivalente a esse espaço central. Nos arcos-cegos que se abrem cada topo – hoje vazios à exceção de um pequeno altar de talha – deveriam talvez ter sido abertas as sepulturas de D. João III e D.ª Catarina, nunca construídas”.

Obviamente que todo este quadro de suposições implica o autor a questionar por que motivo D. João III não ficou aí sepultado, deixando a sua capela panteão vazia. A resposta é lapidar, é a própria História que o explica. “Passado esse fugaz momento de apogeu do poderia imperial, soprando já os ventos da viragem tridentina, a abertura às ideias humanistas cede lugar a um classicismo formal. O falecimento súbito do monarca em 1557, sem lhe dar tempo sequer de fazer testamento irregular o problema sucessório, deixou campo livre aos influentes grupos de pressão que atuavam na corte e no alto clero, conduzindo o país a alinhar nas novas correntes internacionalistas e centralizantes da Contrarreforma. Apesar do apoio de D.ª Catarina, a Ordem de Cristo sofre violentos ataques e entra rapidamente em recessão: o Cardeal-Infante D. Henrique tentará mesmo extingui-la. Desta nova conjuntura que se afirma durante a regência de D. Henrique (1562-68) é expressão emblemática o panteão real dos Jerónimos. Foi ele, sem dúvida, quem decidiu a sua construção, com o consequente abandono das obras de Tomar, só retomadas muitos anos mais tarde”.

E o artigo termina com um comentário bem curioso, da autoria de Frei Bernardo da Costa: “Os magníficos conventos e casas reais de Portugal, todos se enobrecem com os depósitos das reais cinzas dos nossos monarcas. Assim S. Cruz de Coimbra, Alcobaça, Batalha, Belém, S. Vicente de Fora. O convento de Tomar é privado desta honra”. Ao que o autor contrapõe: “Mal saberia ele por pouco, se não estou em erro, essa pretensão tinha estado para se realizar”.

Seja como for, a Ermida é obra sem igual e não exagera quem já passou a escrito que é um dos mais belos interiores que existem no mundo. Digo-vos eu, plenamente convicto.


Mário Beja Santos




 






3 comentários:

  1. Hi everyone I'm Wayne Desmond
    Hi everyone I'm Wayne Desmond and am here to share the wonderful work Dr Believe did for me. After 5 years in marriage with my husband with 2 kids, my husband started acting weird and going out with other ladies and showed me cold love, on several occasions he threatens to divorce me if I dare question him about his affair with other ladies, I was totally devastated and confused until a old friend of mine told me about a spell caster on the internet called Dr. Believe who help people with relationship and marriage problem by the powers of love spells, at first I doubted if such thing ever exists but decided to give it a try, when I contact him, he helped me cast a love spell and within 48hours my husband came back to me and started apologizing, now he has stopped going out with other ladies and his with me for good and for real. Contact this great love spell caster for your relationship or marriage problem to be solved today via email: believelovespelltemple@gmail.com or WhatsApp: +19713839183

    Here is my personal email: waynedesmond22@gmail.com if you wish to ask me anything



    ResponderEliminar
  2. LOTTO, lottery,jackpot.
    Hello all my viewers, I am very happy for sharing this great testimonies,The best thing that has ever happened in my life is how I win the lottery euro million mega jackpot. I am a Woman who believe that one day I will win the lottery. finally my dreams came through when I email believelovespelltemple@gmail.com and tell him I need the lottery numbers. I have spend so much money on ticket just to make sure I win. But I never know that winning was so easy until the day I meant the spell caster online which so many people has talked about that he is very great in casting lottery spell, . so I decide to give it a try.I contacted this great Dr Believe and he did a spell and he gave me the winning lottery numbers. But believe me when the draws were out I was among winners. I win 30,000 million Dollar. Dr Believe truly you are the best, all thanks to you forever


    ResponderEliminar
  3. Estou muito feliz por ter meu marido de volta em minha vida, graças a Dr iyaya que me ajudou com o feitiço, agora somos uma família feliz. Você precisa do seu Marido de volta, precisa do seu ex-namorado ou ex-namorada de volta ou precisa de um feitiço para fazer seu negócio crescer rápido ou precisa de um feitiço para conseguir um contrato muito grande? Em seguida, entre em contato com o Dr. iyaya no WhatsApp para ele em +2349055785722 Urgente Feitiço de amor efetivo para recuperar o amante perdido / parar o divórcio / salvar casamento desfeito / se você precisar de feitiços de loteria / precisar de sua esposa de volta, contate-o através do endereço de e-mail doctoriyaya@gmail.com seu o melhor em feitiços de amor urgentes com garantia de resultado de 100% .. Ele trouxe meu marido de volta para mim em apenas dois dias .. Então, receba seu amor de volta hoje. visite o site dele, você pode encontrar sua solução lá www.https: //dr-iyaya-herbal-remedy.webnode.com

    ResponderEliminar