segunda-feira, 23 de junho de 2014

A Tragédia Biológica da Mulher, de A. W. Nemilow.

 
 
 
 
 

«Os princípios revolucionários tropeçam com o facto de que existe uma desigualdade na situação biológica. Quando na Rússia tínhamos que defender os direitos mais elementares da mulher, não podia falar-se de tal desigualdade, porque os obscurantistas, que queriam manter a mulher na eterna escravidão, tinham aproveitado essa afirmação; mas agora, que se conseguiu a igualdade social e jurídica dos sexos, já não é possível um retrocesso»
 
(A. W. Nemilow [Professor da Universidade de Leninegrado], A Tragédia Biológica da Mulher, trad. portuguesa, Guimarães Editores, pág. 51)  

1 comentário:

  1. João Nery, 79 anos, psicólogo -PUC,resede em Ipatinga.MG, estudou neste livro espetacular. Todo ele é excelente. Quem não tem formaçãoa psicológica extensa ainda acredita que as mulheres são conscientes de sua situação no mundo. NÃO SÃO. Além disto, elas acreditam que o seu desejo sexual, e o orgasmo, é a maravilha da evolução. Sim, é mesmo, pois funciona como isca para se entregarem ao macho, pois o que sentem em nada interfere no fator gravidês, que e a única coisa que a mulher tem para justificar a sua criação. Assim mesmo, como todas as fêmeas da Terra. O Resto é poesia, é r eligião, é falação fora de sentido.

    ResponderEliminar