terça-feira, 29 de setembro de 2015

Uma Viagem à Rússia, de António Quadros.

 
 
 
 
 
«Os inegáveis progressos sociais, a ascensão das camadas proletárias e camponesas a um estatuto de maior dignidade, sobretudo o acesso de milhões de russos ao ensino secundário ou superior, embora tecnicizado e dirigido para um humanismo limitado, tolhido e de via estreita, são elementos que jogarão, mais cedo ou mais tarde, contra o actual statu quo de uma vida sujeita a conceitos e directrizes dogmáticos, totalitários e contrários ao desenvolvimento livre da pessoa humana.»
 
(António Quadros, Uma Viagem à Rússia. Impressões e reflexões, Lisboa, Sociedade de Expansão Cultural, 1969, pp. 112-113).


Sem comentários:

Publicar um comentário