terça-feira, 10 de março de 2020

A cadência da decadência.


 
 
Goste-se ou não (e já me abriram os olhos para ele ser um bocadito aldrabão), Michel Onfray produziu um importante livro, este Decadência. Uma certa diatribe anticristã, sem dúvida, ou não fosse ele o autor do Tratado de Ateologia, mas as páginas dedicadas a São Paulo, mesmo com todos todinhos os devidos descontos, obrigaram-me a pensar e repensar a figura do santo de Damasco – e, com ela, os fundamentos da moral sexual católica, cuja origem está mais em São Paulo do que em Cristo, como já sabíamos, mas agora somos relembrados. Já o capítulo sobre a patrística é, digamos, chato como tudo, mas as páginas sobre Cristo e São Paulo merecem leitura crítica, sem dúvida alguma.
 








 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário