segunda-feira, 23 de março de 2020

Echorus.


 
 
Echorus.
Não e-coro, nem telecoro. Eco + coro. Ecos, coros. Em coro. Em diferentes línguas.
Aqui em duas, cordas e teclas. Poucos minutos cada. Edição bilingue de luxo.
Egrátis.
A primeira, encantatório Echorus propiamente dito, em dois violinos e orquestra de cordas, por Daniel Hope, Chie Peters e a Deutsches Kammerorchester Berlin (direção de Simon Halsey).
 
A segunda é mãe dela, Etude n°2 de seu nome, tocada ao piano com todo o senso e sensibilidade do mundo por Nicolas Horvath.
 
Ambas da pluma de Philip Glass.
 
 
 
 
Manuela Ivone Cunha
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Sem comentários:

Publicar um comentário