domingo, 7 de julho de 2019

O rinoceronte de Maximiliano.

 





 
 
 
Em Milão, na Sala Maria Teresa da Biblioteca Nazionale Braidense (nºao confundir com a Biblioteca Ambrosiana), esteve exposto até há dias, no âmbito das comemorações dos 500 anos de Leonardo Da Vinci, o exemplar que aquela biblioteca possui da monumental gravura de Albrecht Dürer O Arco Triunfal de Maximiliano I (Ehrenpforte Maximilians I).
Trata-se de uma das maiores gravuras jamais produzidas, uma obra indescritível, impressa em 36 folhas, a partir de 195 blocos de madeira.
Há um exemplar no Museu Britânico, que pode ser visto em zoom, aqui, mas o ponto que agora interessa é só um: a gravura terá sido feita entre 1515 e 1517 e, num dos brasões, figura um rinoceronte com flagrantes semelhanças de outro, mais conhecido, igualmente da autoria de Dürer.

 

Fotografias de António Araújo


 
 
 
O exemplar da Braidense, de imponentes dimensões (3 metros por 3 metros), pode ser visto aqui, igualmente em zoom.
Para se ter uma ideia da dimensão desta peça, veja-se o impressionante vídeo do British Museu. Vale MUITO a pena:
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário