terça-feira, 2 de julho de 2019

Simplesmente inacreditável.

 

 
 
         Um programa de 1971 com Salvador Dalí e Lillian Gish, considerada a «primeira dama» do cinema mudo americano, uma das pioneiras das pioneiras da 7ª Arte. O seu nome foi agora retirado de uma sala de cinema da Bowling Green State University, no Ohio. Considerou a douta universidade que Lillian não merecia ser homenageada por ter participado como actriz em O Nascimento de Uma Nação, longa-metragem de Griffith, um dos maiores filmes da história do cinema. A decisão já mereceu o protesto de nomes como Martin Scorsese, Joe Dante, Helen Mirren, James Earl Jones, Lauren Hutton, etc., mas nem isso parece demover as autoridades académicas. Note-se, no entanto, e como informa uma extensa reportagem do PÚBLICO, que a universidade que agora retira o nome de Gish de uma sala de cinema recebeu em 1975 uma doação da actriz para a criação de bolsas de estudos, e recebeu também os seus arquivos, que ainda conserva. Agora mostrar-lhe o nome numa sala de cinema é que não, é incorrecto. Simplesmente inacreditável. No mínimo, restituíssem o valor das bolsas que Lilian Gish instituiu e devolvessem os seus arquivos pessoais. Ou será que a memória, afinal, é selectiva e oportunista? Inacreditável, simplesmente inacreditável.
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário