segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Burkini.

 
 
Fotografia de José Liberato
Musée du Touquet-Paris-Plage, 29 de Julho de 2017
 
 
 
 

domingo, 20 de agosto de 2017

Gente de palmo e meio.

 
 



Os anões de Auschwitz, um texto no ECO, aqui.

Portugal é um Sarilho Sensacional.

 
 


Recomendação de Verão (do Japão).

 
 
 
 
 
Até por não aparecer muito nas nossas livrarias, mais entretidas com auto-ajuda e romances de opereta, uma obra que se recomenda muito. Pearl Harbour – Lisboa – Tóquio, as (breves) memórias de Morishima Morito, embaixador do Japão em Lisboa durante a Segunda Guerra. Neste blogue, Inês Carvalho Matos fala mais desenvolvidamente, e com mais saber, deste livro que aqui fica como recomendação de Verão.  O livro não está à venda, foi-me trazido por mão amiga. Mas, se puder, deite-lhe a mão.
 
 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Para pensar.

 
 

















Quantos lobos há na Alemanha, a terra dos irmãos Grimm, do Capuchinho Vermelho e do Lobo Mau? Menos de 100 e, mesmo assim, a maioria são lobos vindos do outro lado da fronteira com a Polónia. Em contraste, há nas casas alemãs cerca de cinco milhões de cães. No total sobram 200 mil lobos selvagens em todo o mundo, mas há mais de 400 milhões de cães domésticos. Novecentos mil búfalos em comparação com 1,5 mil milhões de vacas, 50 milhões de pinguins e 20 mil milhões de frangos. Desde 1970, e apesar de uma consciência ecológica cada vez maior, a população de animais selvagens caiu para metade, e já naquela época não era grande. 
 
(Yuval Noah Harari, Homo Deus. História Breve do Amanhã, 2017, pág. 87)
 
Fotografias de Frans Lanting



quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Já agora...

 
 


Faial, visto da Barca, Pico.

 
 



Fotografias de Onésimo Teotónio de Almeida




As fotos que aqui vão, tiradas da Barca, Pico, podem parecer tiradas do mesmo lugar das anteriores, mas não. O Ancoradouro, de onde tirei as anteriores, fica a oeste  do Pico, enquanto a Barca fica a noroeste. Se se comparar as fotos com atenção, dá para notar as diferenças de perspectiva. O sol de fim de tarde e o contra-luz é que as tornam semelhantes. Mas as nuvens nunca são iguais.
Onésimo Teotónio de Almeida
 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O mundo é um lugar estranho.

 
 
 
 
 
 
 

         Há um livro volumoso sobre a judeofobia planetária. Chama-se Prêcheurs de haine. Mas para quê um livro sobre anti-semitismo, quando temos casos como este, também contado pela BBC aqui, acontecido há dias num hotel suíço?


Classe Média.

 
 
 
 
O que é a classe média? V. pertence à classe média? Rico, pobre, remediado, assim-assim?
Se tal é possível, um instrumento para calcular a classe média – e saber quem é, onde pertence:
 
 
 

A Besta Quadrada Volta a Atacar.

 
 
 

 
Já é a segunda vez, pelo menos, que este humorista sem graça tenta fazer piadolas com o cancro de um ser humano. O alvo é sempre o mesmo ser humano, uma pessoa que tem um nome e um rosto. Chama-se Laura Ferreira, antes sequer de ser mulher de Pedro Passos Coelho. Laura Ferreira, li nos jornais, luta pela sobrevivência, sofre, tem dor, tem metástases no pulmão, fez sessões de quimioterapia. Por causa disso, perdeu o cabelo, como acontece a tanta, mas tanta gente, que é tratada por quimioterapia. Pois este rapaz humorista achou graça gozar com isso, o que é desumano, idiota e vil. O moço acha piada a que alguém perca o cabelo por estar a fazer quimioterapia. Tem, de facto, muita gracinha, fartámo-nos de rir muito, muito – e, sobretudo, desejamos ao senhor João Quadros e Família que nunca tenham um cancro com metástases, que nunca percam o cabelo por terem de fazer quimioterapia, lutando pela vida, com a morte a rondar por perto. Oxalá os filhos do senhor Quadros nunca sofram aquilo que, adivinhamos, os filhos de Laura Ferreira estão a sofrer nestes dias e anos todos. Oxalá este imbecil nunca perca o cabelo, pois a graça já a perdeu toda. Aliás, nunca a teve, coitado. Talvez seja essa a razão de tanto ódio e ressentimento. Talvez isto seja apenas para causar escândalo, para que falem dele e saibam que existe e está vivo, no meio da silly season e dos fogos de Verão. João frustrado e azarado, João Quadrado. Uma besta em forma de gente.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Sanatórios Socialistas Soviéticos.























Ainda não está à venda, mas já pode ser encomendado (aqui, por exemplo). Portentoso. Maryam Omidi, uma jornalista freelancer com muitos trabalhos no The Guardian, percorreu os sanatórios da antiga União Soviética, da Arménia ao Uzebequistão, encontrando, nos nossos dias, situações ou pessoas que ainda parecem viver nos tempos do comunismo. O resultado final, entre a caricatura e a moda  Soviet chic, é muito melhor que o melhor de Martin Parr nas praias britânicas. Sensacional, em todos os sentidos.