terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Gebopolítica internacional.







14 comentários:

  1. Gostei muito das postagens; são fenomenais! Dê-me a honra da visita.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Mau demais... E ninguém dá uma cotovelada a esta abécula, para ver se ele cai e fica ele próprio paralítico? Com um bocado de sorte ainda pode ser que arranje um subsidiozinho... Era bom que ficasse paralítico das mãozinhas (para deixar de escrever) e da pálpebra (para deixar de piscar o olho)... Do cérebro já não pode ficar (só porque não o tem).
    Raquel

    ResponderEliminar
  3. A opinião do "anónimo" já a li noutros sítios e isso coloca-me uma dúvida:
    -O que é que ele disse que fosse mentira?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a anónima responde:
      como jornalista, e ainda mais de uma canal público pago por todos nós, não tem que ter opinião, tem que relatar factos e deixar as opiniões para comentadores e público. o telejornal é um serviço de informação e não de outras coisas e é de uma falta de ética e de uma grande arrogância achar que só porque já é fulaninho com uns quantos livros escritos, que pode dizer tudo o que lhe apetece.não pode nem deve!
      isso não invalida que ele não possa dar a sua opinião em qualquer outro sítio mas não no telejornal, não durante a cobertura das eleições e nunca de uma forma tão redutora. o que aprendemos: ficamos a saber que os gregos são todos corruptos e falsos paraliticos.....péssima qualidade de texto.....enfim

      Eliminar
    2. e não sou a anónima lá de cima não queria dar essa ideia

      Eliminar
    3. Muito obrigado.
      Temos pois (sou eu a pensar) que numa reportagem o que ele disse seria elogiado.
      Porque (também sou eu a pensar) não disse mentira nenhuma.
      Sendo o telejornal (continua a ser eu a pensar) devia ter apenas dito os números finais das eleições.
      É isto?

      Eliminar
    4. Não pode perceber quem não quer perceber.

      Eliminar
  4. bem não vou estar a discutir a diferença entre informação e juízos de valor...e a diferença entre jornalista e comentador
    se calhar você devia achar correcta a denominação de PIGS atribuida a nós e mais três países incluindo a Grécia...eu não
    ele tem todo o direito à opinião dele, no local certo e se acha que ele não disse mentira nenhuma também deve concordar com o que dizem sobre nós, o que demonstra que as nossas opiniões vão ser sempre divergentes, portanto isto já se esgotou à partida
    tenha uma boa semana

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigado pela atenção dispensada.
    A partir de agora os enviados especiais devem ter muito cuidado com o que dizem.
    Por exemplo, nestas eleições (falo de cor não vi as televisões) devem ter dito que o povo grego votou na mudança, contra a austeridade e outras grandes frases.
    Uma rotunda mentira, bem não é bem uma mentira é uma interpretação (lá está isto vai ser proibido) porque não olharam para os números.
    O partido mais votado, o tal da extrema-esquerda teve 36,33% de votos.
    Isto representa o povo grego?
    E então os outros representam o quê?
    Esta polémica vai acabar por ser muito útil.
    De agora em diante devem enviar não um jornalista mas um contabilistas para nos relatar os números, única coisa que é factual, e mesmo assim...
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  6. como tinha dito assunto esgotado à partida...

    ResponderEliminar
  7. Um último apontamento para esclarecer que o meu anterior comentário não era resposta a ninguém.
    Eu já tinha percebido que as posições tipo Pureza não podem ser contrariadas.
    O meu comentário era apenas para na minha modesta opinião indicar aquilo que deve ser comentado pelos senhores jornalistas.
    Eu até acho que não é aceitável indicar que um partido é de direita do centro de cima ou de baixo.
    Depois acontecem problemas como o de agora, o partido que era de extrema-esquerda passou a ser de esquerda e o outro que era de extrema-direita passou a ser de direita e até já lhe chamam conservador.
    Frase tipo -- indicar que um partido ganhou com 36% as eleições, e mais nada.
    Podem, claro, acrescentar o nome, sem tradução.

    Muito obrigado a Malomil por permitir estes comentários.
    Noutros sites, aparentemente de esquerda, em nome da liberdade de expressão foram suprimidos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente temos sites de direita que defendem a liberdade de expressão. E, sobretudo, o que nos vale são os paladinos que por ela lutam como o F.A, um ínclito e intrépido cavaleiro. Um grande bem-haja. Viva a direita! Cocó para a esquerda!

      Eliminar
    2. Eu sou de eaquerda e preferia que este "anonimo"não fosse.

      Eliminar
  8. Confesso que gostei da historia dos pinguins.Não ha reportagens ou telejornais neutros.Ha uma escolha sempre.Pensar o contrario é inocencia no mínimo má fé no máximo.

    ResponderEliminar