sábado, 19 de dezembro de 2015

A geringonça.

 
 







Gostos discutem-se. E, para o meu gosto, o Museu do Amanhã, projectado por Santiago Calatrava, é um pavor. É certo que foi construído numa zona degrada da baía do Rio de Janeiro. Mas macular desta forma a mais bela cidade do mundo… não havia direito. Reparem na piscina azul, nas palmeirinhas adjacentes, a emoldurar a nave  Star Trek. Previsíveis, insuportáveis na sua visão paternalista do que é «ser Brasil». Por cá, junto ao Tejo, prepara-se uma concha grotesca, sob os auspícios da EDP. Mas esta, do Calatrava, ultrapassa tudo o que há de mau. E no Brasil há tanta e tão boa arquitectura… 
 
 

4 comentários:

  1. bem, pelos vistos nem para apeadeiro serve...

    ResponderEliminar
  2. Não vou dar opinião, não percebo nada disto.
    Só sei duas coisas, o Pavilhão de Portugal e a sua magnifica pala na Expo 98 continuam sem a mínima utilidade, e as torres do Taveira tanto criticadas, hoje são parte integrante da paisagem de Lisboa.

    ResponderEliminar