segunda-feira, 23 de setembro de 2013

uhuhuhuhuh

 
 
 
 



«Percebi logo que a Islândia não é uma coisa que se diga e que a única forma de o tentar obriga a passar pelas forças da metáfora, da imagem e da poesia. Mesmo assim, os leitores vão chegar aos fiordes e acharão o livro uma pequeníssima e ínfima parte do que lá está.»
 
(Valter Hugo Mãe, entrevista ao Diário de Notícias, de 23/9/2013)

2 comentários:

  1. falta o eheheheheheheheheh

    ResponderEliminar
  2. Eatando na Islandia para chegar aos fiordes vão ter muito que nadar.

    ResponderEliminar