terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Estimo bem que te freitas.

 
 
 



E pronto, cá o temos de novo. Pedro Chagas Freitas de seu nome. Já falámos deste marreco pelo menos duas vezes, aqui e aqui. Reincidiu Chagas, e em força.  Atente-se na pureza da sua escrita, no sumo rigor estilístico, na criatividade que brota daquela inteligência poderosa. Alguns, sempre maledicentes e retrógrados, frustrados e invejosos, dirão que não existe grande diferença entre este texto literário e um rabisco feito na porta de um WC. É triste e vil, tanta inveja portuguesa... Isto, senhores, é Literatura – e da boa. Continua assim, Pedro, não mudes, não mudes nunca. Amo-te, Chagas. Um Bom Natal para ti e para os teus.       


4 comentários:

  1. Na verdade, que marreco, deveria ser, estimo que te fodas bem. E ensina este marreco escrita criativa, ai, ai

    ResponderEliminar
  2. Porque chaga o Chagas?
    Perguntai á dona "caixa dos pirolitos": pluma caprichosa, tantas e tantas vezes - desprezada ...

    ResponderEliminar
  3. Será o Chagas o nosso Dantas?!ha mais candidatos e mais bem colocados.

    ResponderEliminar
  4. Calma. A escritura latrinária foi canonizada por mestres de pensar e este marreco queimou as pestanas com tais pentelhices. É justo que ponha a render as pestanas.

    ResponderEliminar