sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Sair do corpo para entrar nele, de Isabel Moreira.



 
 
 
 
 
 

17 comentários:

  1. este tipo dono do Malomil ainda não se libertou da Culpa. Nunca apanhou no cu como um homenzinho e também não deixou nenhuma mulher enfiar-lhe algo cu acima...

    ResponderEliminar
  2. É importante não esquecer que esta senhora, além de Constitucionalista, Escritora e Deputada também concluiu o 1º, o 2º e o 3º Ciclos e ainda o Ensino Secundário, http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/Biografia.aspx?BID=4452, conforme se pode ver aqui...
    Francisco

    ResponderEliminar
  3. Não entendo esta fixação na senhora Moreira.Coisas de Lisboa provavelmente.

    ResponderEliminar
  4. ...põe o dedo... tira o dedo... Constitucionalista e Deputada. Porque é que eu não posso ser deputado?
    Como diria Tiririca, pior não fica!

    ResponderEliminar
  5. Que vergonha! Que embaraço alguém apresentar isto como se fosse ilegítimo ou culposo falar de sexo e de masturbação. Assim se vê o reacionarismo encapotado da direita que quer parecer liberal nos costumes e erudita nos gostos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://malomil.blogspot.pt/2013/07/nofap.html

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  6. Assim se vê a mediocridade literária encapotada de uma certa esquerda que quer parecer liberal nos costumes falando de sexo e masturbação que já não chocam ninguém desde os tempos de Hildegard de Bingen. Olhem para mim que moderna eu sou, escritora e deputada!

    ResponderEliminar
  7. A arte de dedilhar um dos mais solitários prazeres, logo, mais sincero e intrínseco à condição humana, exige mestria nas palavras, e, especialmente, um ritmo de cadência harmonioso.
    Ser feminista, diz que está na moda, especialmente se se pertecer ao grupinho bem das meninas de Lisboa. Escrever mal, diz que também está na moda. E vende.

    ResponderEliminar
  8. Atontanada adolescente seródia?

    Querido diário... "stupor mundi".

    ResponderEliminar
  9. Pois é, devem ser mesmo as tricas do Paço entre os da corte.

    ResponderEliminar
  10. A flausina bem gostaria, mas isto nem masturbação "intelectual" chega a ser.
    E sim, acredito que ela seja "deputedo"...

    ResponderEliminar
  11. Esta salada de frutas da Isabel Moreira é tropicália que se encaixa perfeitamente na estética Neo-feia Polivalente, inaugurada pela obra "Vida Puta Cagalhões Merda" de Nel Monteiro.

    Por outro lado, agradeço não haver nenhuma piada com "a nova «Alegoria da Caverna»"...

    ResponderEliminar
  12. É refrescante saber que há quem se consiga masturbar com sucesso recorrendo a este imaginário.
    José Navarro de Andrade

    ResponderEliminar
  13. Mas porque é que ela não compra um pepino...

    ResponderEliminar