quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Lisboa em Manhattan.

. . .
.
.
.


Nova Amesterdão, 1672, aqui





Lisboa, 1617, aqui




Num comentário no Malomil, aqui, um simpático leitor (obrigado!) referiu um estranho caso de coincidências, que Francisco Feijó Delgado apresentou em 2008, aqui. Na Boston Public Library, um mapa de Nova Amesterdão, da autoria de Gérard Jollain, datado de 1672. A futura Nova Iorque mostra estranhas similitudes com uma gravura de Lisboa, de 1617: a Sé passou a ser a Maison de Ville, o Terreiro do Paço o Almirantado, o Tejo o Mar do Norte, o Castelo de São Jorge o Chateau de Nassau… Pirataria, uma prática antiga…  Para o bem e para o mal, na alegria e na dor, Lisboa não é Nova Iorque.
 

Sem comentários:

Publicar um comentário