domingo, 3 de junho de 2018

Kingelez: cidades de sonhos.

 
 
 
Bodys Isek Kingelez (1948-2015)
 









 
 
 
No MoMa, em Nova Iorque, uma exposição das utopias clean do fantástico congolês Bodys Isek Kingelez (1948-2015), um artista que não primava pela modéstia, definindo-se como «um pequeno deus». Polímato, poliglota, Kingelez foi, sem dúvida, o maior, ainda que o seu génio se manifestasse no muito pequeno, à escala reduzida de brinquedos para crianças, parques de Lego que admiramos com uma curiosidade pueril, quase gaiata. Por muitas tentativas de teorização da sua obra, como aquela que vemos neste vídeo, Kingelez foi isto, apenas o que contemplamos nas fotografias; apenas isto, o que não é pouco. Por cá, tivemos um génio assim, ou maior: António Peralta. Exposto no Museu de Etnologia, nem um catálogo fizeram, perdendo-se uma ocasião única, irrepetível. Talvez os americanos descubram um dia quem foi António Peralta, e aí toda a gente irá louvá-lo como merece.
 
 

 
 
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário