domingo, 17 de junho de 2018

São Cristóvão pela Europa (64)

 
 


 

 
 Igreja de São Tiago em Liège, 11 de Março de 2018 
 
 
 
A infância de Jesus é um livro de J. M. Coetzee, escritor sul-africano nascido em 1940, Prémio Nobel da Literatura em 2003.
 
O romance foi publicado em 2013. Os protagonistas são Simón e David, refugiados num campo na imaginária cidade de Novella. Simón é um homem de meia-idade, David uma criança de cinco anos.
 
As alusões bíblicas são muito frequentes, começando pela busca de um abrigo no início e terminando com David juntando um grupo de discípulos à sua volta um dos quais se chama João.
 
Mas também  estão muito presentes várias alegorias a São Cristóvão.
 
Como bem observa Robert Kusek da Universidade Jagiellonian de Cracóvia, Simón é um transportador, um estivador, que transporta o rapaz tanto literalmente como simbolicamente.
 
 
 
David aprende música e canta o poema de Goethe, o Rei dos Álamos, que se relaciona com o livro, com título semelhante, de Michel Tournier já mencionado no Malomil (http://malomil.blogspot.com/2018/02/sao-cristovao-pela-europa-57.html):
 
 
 
Quem cavalga tão tarde, ao vento e pela treva?
 
O cavaleiro é um pai, p’lo filho acompanhado,
 
Pai que, nos braços seus, o seu filhinho leva,
 
Cingindo-o muito, a fim de o ter agasalhado.
 
 
 
Em certo ponto do romance, vão na direcção de um lago, em busca da mãe de David.
 
 
 
Aqui e além vêem pássaros em voo, mas distantes de mais e a demasiada altura no céu para saberem ao certo de que se espécie se trata.
 
-Estou cansado- anuncia o rapaz.
 
Ele examina o mapa. Estão a meio caminho do lago, calcula.
 
-Eu levo-te durante um bocado – diz -, até te voltarem as forças.
 
Põe o rapaz às cavalitas.
 
-Canta assim que vires um lago. Há-de ser de onde vem a água que bebemos. Canta se o vires. Aliás canta se vires alguma água. Ou se vires algum camponês
 
 
 
José Liberato
 
 
 


Sem comentários:

Publicar um comentário