segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Sentimento de um ocidental.

 
Eugène Delacroix, La Mort de Sardanapale, 1827


Há agora e até 24 de Fevereiro uma exposição grandiosa no British Museum sobre Assurbanípal, o assírio. Sardanápalo é uma corruptela do seu nome. E A Morte de Sardanápalo é um quadro de Delacroix exposto no Museu do Louvre. Em trânsito para outras bandas, o sempre atento e sempre amigo José Liberato logo notou em pleno Louvre dois elefantes na cama, ou melhor na tela. Tela que se inspirou na peça de Byron Sardanapalus, de 1821, e que por sua vez inspirou a cantata de Berlioz Sardanapale, de 1830, e a inacabada ópera de Liszt Sardanapale, de 1845. E que seria da nossa vida sem a Wikipedia?
 
         Tendo trazido ao nosso convívio o óleo de Delacroix, lembrei-me de agradecer a José Liberato com outras grandes obras d’arte, uma inspirada em Delacroix, outra em Gèricault e outra em Rembrandt.
 










 
 
 
 
 
 

2 comentários: